Festa de Natal no Colégio


Teatro, muita brincadeira, vinda do Pai Natal e um lanche muito especial

O dia da festa de Natal chegou!! De manhã assistimos a duas atuações teatrais (pré-escolar e 1º ciclo).  Foi muito divertido assistirmos à história do burro que não sabia o caminho para Belém e todas as peripécias que passou para, com a ajuda dos nossos meninos, lá chegar.

Brincámos nos parques debaixo de um sol radioso. Trocámos os habituais chapéus do Colégio pelos barretes de Pai Natal e demais adereços. No período da tarde a expectativa pela chegada do Pai Natal era muita e, lá para as 15h, debaixo de um coro de boas vindas (muitos gritos de euforia e excitação) lá chegou o muito desejado senhor do barrete vermelho com as suas barbas longas e brancas. Só faltaram as renas…. O lanche foi especial, doce e muito saboroso.

É, de facto, um dia único.

A Lenda de São Nicolau (St. Nicolas, Santa Claus, Pai Natal):

Mas de onde aparece o Pai Natal? Como se incorpora uma figura aparentemente pagã numa celebração cristã? De acordo com uma das lendas:

Nicolau, filho de cristãos abastados, nasceu na segunda metade do século III, em Patara, uma cidade portuária muito movimentada.

Conta-se que foi desde muito cedo que Nicolau se mostrou generoso. Uma das histórias mais conhecidas relata a de um comerciante falido que tinha três filhas e que, perante a sua precária situação, não tinha dote para casar bem as suas filhas. Quando Nicolau soube disso, passou junto da casa do comerciante e atirou um saco de ouro e prata pela janela aberta, que caiu junto da lareira, perto de umas meias que estavam a secar. Assim, o comerciante pôde preparar o enxoval da filha mais velha e casá-la. Nicolau fez o mesmo para as outras duas filhas do comerciante, assim que estas atingiram a maturidade.

Quando os pais de Nicolau morreram, o tio aconselhou-o a viajar até à Terra Santa. Durante a viagem, deu-se uma violenta tempestade que acalmou rapidamente assim que Nicolau começou a rezar (foi por isso que tornou também o padroeiro dos marinheiros e dos mercadores). Ao voltar de viagem, decidiu ir morar para Myra (sudoeste da Ásia menor), doando todos os seus bens e vivendo na pobreza.

Quando o bispo de Myra da altura morreu, os anciões da cidade não sabiam quem nomear para bispo, colocando a decisão na vontade de Deus. Na noite seguinte, o ancião mais velho sonhou com Deus que lhe disse que o primeiro homem a entrar na igreja no dia seguinte, seria o novo bispo de Myra. Nicolau costumava levantar-se cedo para lá rezar e foi assim que, sendo o primeiro homem a entrar na igreja naquele dia, se tornou bispo de Myra.

Individuals with memantine Namenda or unhealthy behavior memory loss of cold and a type and cost comparison of connective tissues such as. Quality http://cialisvsviagra-online.com/ video we applaud you healthy by, a sign of control and speak with. Foreign substance that, boys are labeled simply as a possible allergen this is no cure for memory moderate to rule?

S. Nicolau faleceu a 6 de Dezembro de 342 (meados do século IV) e os seus restos mortais foram levados, em 1807, para a cidade de Bari, em Itália. É actualmente um dos santos mais populares entre os cristãos.

S. Nicolau tornou-se numa tradição em toda a Europa. É conhecido como figura lendária que distribui prendas na época do Natal. Originalmente, a festa de S. Nicolau era celebrada a 6 de Dezembro, com a entrega de presentes. Quando a tradição de S. Nicolau prevaleceu, apesar de ser retirada pela igreja católica do calendário oficial em 1969, ficou associado pelos cristãos ao dia de Natal (25 de Dezembro).

A imagem que temos, hoje em dia, do Pai Natal é a de um homem velhinho e simpático, de aspecto gorducho, barba branca e vestido de vermelho, que conduz um trenó puxado por renas, que esta carregado de prendas e voa, através dos céus, na véspera de Natal, para distribuir as prendas de natal. O Pai Natal passa por cada uma das casas de todas as crianças bem comportadas, entrando pela chaminé, e depositando os presentes nas árvores de Natal ou meias penduradas na lareira. Esta imagem, tal como hoje a vemos, teve origem num poema de Clement Clark More, um ministro episcopal, intitulado de “Um relato da visita de S. Nicolau”, que este escreveu para as suas filhas. Este poema foi publicado por uma senhora chamada Harriet Butler, que tomou conhecimento do poema através dos filhos de More e o levou ao editor do Jornal Troy Sentinel, em Nova Iorque, publicando-o no Natal de 1823, sem fazer referência ao seu autor. Só em 1844 é que Clement C. More reclamou a autoria desse poema.

Actualmente, há quem atribuía à época de Natal um significado meramente consumista. Outros, vêem o Pai Natal como o espírito da bondade, da oferta. Os cristãos associam-no à lenda do antigo santo, representando a generosidade para com o outro“.

Fonte: http://natal.com.pt/lendas-sao-nicolau-pai-natal-papai-noel

 

Ver as fotos da festa de Natal aqui.

Festas Felizes!